Espero que ele tenha um compromisso verdadeiro com a educação pública de qualidade, diz Sílvio Humberto sobre novo gestor da SMED

Ao tomar conhecimento, nesta terça-feira (30),  que o ex- prefeito de Juazeiro Jorge Khoury (DEM), é o novo secretário de educação de Salvador, o vereador Sílvio Humberto (PSB), disse esperar que a gestão dele seja pautada na construção coletiva, na escuta, no reconhecimento da alteridade, que de acordo com o socialista são alguns dos princípios para garantir uma educação pública de qualidade na cidade.

Para Sílvio Humberto, que é o atual presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal, é preciso aproveitar a mudança de secretário e também mudar a forma como a Secretaria estava sendo conduzida. “É preciso compreender que a mudança do secretário não significa que a gestão tenha mudado. Mesmo sabendo que Jorge khoury não é um especialista na área educacional, espero que ele assuma um compromisso verdadeiro com a educação publica municipal ”, disse.

silvio

O vereador ainda aproveitou para desejar ao Secretário Jorge Khoury, que assume as funções de gestor imediatamente, sensibilidade maior do que seu antecessor, para que ouça os profissionais e asociedade civil organizada, sobretudo, em relação ao programa Alfa e Beto, que de acordo com o Ministério Público da Bahia, deveria ser suspenso e o contrato rescindido, seguindo os pareceres de especialistas em educação e dos professores da rede.

Ocupação da Câmara Municipal não interfere nos trabalhos legislativos, defende Sílvio Humberto

Defensor da ampliação da participação popular na Câmara Municipal de Salvador, o vereador Sílvio Humberto (PSB) acredita que a ocupação do Plenário Cosme de Farias por integranes do Movimento Passe Livre em nada interfere nos trabalhos da Casa Legislativa.
De acordo com o socialista, como se trata de uma ocupação, até o momento, pacífica e ordeira, não impede que as sessões sejam retomadas. “A Casa é do povo. Portanto, a ocupação não atrapalha no funcionamento da Câmara Municipal. Defendo que os trabalhos sejam retomados e com os integrantes do Movimento Passe Livre acompanhando as sessões”, disse o vereador.
Para o vereador, que tem uma sessão especial em homenagem ao Dia da Mulher Afro Latina Caribenha, agendada para a próxima quinta-feira, dia 25, a presença dos manifestantes não atrapalha a realização da sua atividade. “Vamos organizar o evento, e se a ocupação continuar, os manifestantes são meus convidados. Sigo com a compreensão que este é um espaço do povo”.

Representante das Nações Unidas convida Sílvio Humberto para participar da III Cúpula Mundial para líderes da África e de Origem africana

Nações Unidas

Conhecido internacionalmente por seu trabalho de promover o acesso de jovens negros às universidades por meio do Instituto Cultural Stive Biko, o vereador Sílvio Humberto (PSB) foi convidado para participar da III Cúpula Mundial para Líderes e Prefeitos da África e de Origem africana. O convite foi feito nesta quinta-feira, dia 25,  por  Pastor Elias Murillo Martinez, diretor do Comitê para a Eliminação da Discriminação Racial das Nações Unidas, durante a reunião da Comissão de Educação.

Para o vereador socialista  o convite é resultado da sua história contra a discriminação racial desse país. No texto enviado pela ONU, a experiência  de Sílvio Humberto nas áreas de interesse para Diáspora Africana foi o que motivou o convite. O evento acontece entre 12 e 16 de setembro na cidade de Cali, Colômbia e em seguida na Cartagena.

Em data histórica, Sílvio Humberto revive a luta e resistência

Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha é comemorado em sessão especial

“Uma noite duplamente especial”. A expressão revela o sentimento do vereador Sílvio Humberto (PSB) ao presidir a sua primeira sessão especial nesta legislatura e comemorar o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, nesta quinta-feira (25), no auditório do Centro de Cultura da Câmara.
O dia 25 de julho foi instituído pela ONU como marco internacional da luta e resistência da mulher negra durante o 1º Encontro de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-caribenhas, na República Dominicana, em 1992. Desde então, vários setores da sociedade atuam para consolidar e dar visibilidade a esta data, refletindo sobre a condição de opressão de gênero, raça e etnia vivida pelas mulheres negras.

Sessao2

Foto: Assessoria de Comunicação

Ventre do mundo
Visivelmente emocionado, o vereador Silvio Humberto realizou a abertura do evento e enfatizou que, através dele, a Câmara acolheu o público “com muito axé e um abraço caloroso”.
“Para mim é uma dádiva homenagear as mulheres negras nesta data. O Ilê Aiyê tem uma expressão que revela o que sinto no momento. ‘A África é o ventre fértil do mundo’. Isso me faz lembrar a minha formação política. A pessoa que sou e minha militância teve origem na minha família, através de meus pais. Sou fruto de uma mulher negra e acredito que elas possuem uma força que encanta, apesar das dores que ardem diariamente em suas vidas”, disse o vereador.
Mulheres negras que se destacaram na história foram reverenciadas durante a sessão como Zeferina, líder do Quilombo do Urubu e Luiza Mahim (Revolta dos Malês).

Conquistas e desafios
Olívia Santana, ex-vereadora e atual chefe de gabinete da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), destacou a necessidade do empoderamento das mulheres negras. Segundo ela, o tema tem que ser discutido como “um mantra”. “Chega de viver de exceções. Queremos ser sujeitos, protagonistas, escrever a nossa própria história”, pontuou.
Zildete Pereira, presidente da Rede de Mulheres do Alto das Pombas, abordou assuntos como unicidade do movimento, a troca de informações e a busca pelo bem estar da comunidade. “São 31 anos de luta. Nós temos uma Democracia falsa, porque a verdadeira é pelo povo. Nós não temos, mas não devemos perder a fé e a esperança de conquistá-la”, disse.
Monique Evelle, coordenadora do Movimento Desabafo Social, refletiu sobre a importância de estimular os jovens e adolescentes a tomar conhecimento da história de mulheres negras guerreiras. Sílvio Humberto reafirmou sua postura de trabalhar “com” a juventude e não “para” eles.
Durante o encontro, a cantora Denize Correia entoou composições cujas letras reafirmavam o orgulho e o caráter identitário do público. Outro momento lúdico e de grande reflexão foi a declamação de poesias apresentadas pelo grupo de mulheres que participam do Sarau Bem Black e a apresentação de um vídeo.

Fizeram também parte da mesa, o secretário de Promoção da Igualdade Racial, Elias Sampaio; Creuza Maria de Oliveira, presidente da Federação Nacional de Trabalhadoras Domésticas; Tânia Maria Bispo, Mayê do Terreiro Ilê Oxumaré; Valdecir Nascimento, coordenadora executiva do Odara – Instituto da Mulher Negra; e a Ebomi Nice, de Oyá da Casa Branca.

Comissão de Educação quer celeridade na aprovação de Plano de Carreira

Encontrar as formas para efetivar o Plano de Carreira após as adequações apresentadas ao poder executivo pelo sindicato dos profissionais em educação foi tema central da reunião da Comissão de Educação, Esporte, Cultura e Lazer , realizada nesta quarta-feira (10). O encontro, aberto a sociedade civil, teve ampla participação  dos professores municipais.

Foto: ASCOM VSH

Foto: ASCOM VSH

“Acreditamos nas reuniões participativas e na importância em debater o Plano de Carreira sobretudo com aqueles quem vivenciam diariamente o ‘chão’ da escola”, explicou Sílvio Humberto (PSB), atual presidente da Comissão, ao relatar que uma das preocupações é  a melhoria da situação da rede pública de ensino.

Uma síntese das modificações do Plano foi apresentada por Jacilene Santos, diretora da APLB – Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia.  “São mais de 8 anos que a APLB vem com essa luta para que o novo plano seja aprovado”. Entre outros quesitos, as mudanças pretendem garantir o afastamento remunerado para mestrado e doutorado, bem como  a mudança de nível salarial exclusivamente quando o curso adicional for específico na área de educação. “Para investir esse dinheiro público e melhorar o aprendizado do aluno, o aprimoramento profissional deve ser na área educacional.”, completou Jacilene.

Sílvio Humberto acredita que é importante a pressão da população e o documento da Comissão de Educação para impedir a morosidade do processo. “ O uso da tribuna popular da Câmara pelos professores e o ofício que sairá da Comissão de Educação cobrando celeridade na aprovação contribui para a conquista dos pleitos”, explica  o parlamentar.

Participaram também da reunião ampliada Fábio Santos, coordenador da Comissão de Educação do Conselho Regional do Serviço Social e os vereadores Everaldo Augusto (PcdoB), Hilton Coelho(PSOL) e Vado Malassombrado(DEM).

Sílvio Humberto cobra inclusão das pessoas desassistidas pelos poderes públicos

DSC_0051

Foto: ASCOM VSH

 

Na manhã desta terça-feira (9), o vereador Sílvio Humberto (PSB) promoveu, no Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador, audiência pública para debater a inclusão de pessoas em situação de rua, na capital baiana, nas diversas políticas públicas governamentais.
O encontro serviu como base para a aplicação da Política Municipal de Salvador da População em Situação de Rua, instituída pelo Decreto Municipal nº 23.836/13. Este ato estabelece uma parceria com os setores de proteção ao cidadão, como exemplo a Defensoria Pública do Estado da Bahia. Segundo o vereador Sílvio Humberto, a implantação desta política municipal viabiliza o acompanhamento da população de rua por parte dos poderes públicos.
“A ação central desta Casa Legislativa será evitar a violação dos direitos dos moradores de rua, tomando como base a política nacional em favor destas pessoas”, pontuou Sílvio Humberto.
Para a ex-moradora de rua e integrante da Coordenação do Movimento Nacional da População de Rua (MNPR), Maria Lúcia Pereira, “as pessoas só moram nas ruas por falta de opção”. Ela diz que a motivação em coordenar o MNPR foi pela gratidão aos ex-companheiros de rua. “Eles foram meus pais, minha mãe, meus irmãos. Se eles não tivessem me protegido, eu teria morrido ou seguido para o caminho da prostituição”, revela.

Decreto nº 7053/09

A instituição da Política Nacional para a População em Situação de Rua propõe que sua prática aconteça de forma descentralizada e articulada entre a União e os demais entes federativos que a ela aderirem por meio de instrumento próprio, através de um Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento.
Alguns dos princípios deste decreto são o respeito à dignidade da pessoa humana, o direito à convivência familiar e comunitária, além do respeito às condições sociais e diferenças de origem, raça, idade, nacionalidade, gênero, orientação sexual e religiosa, com atenção especial às pessoas com deficiência.
Estiveram presentes à audiência pública os vereadores Hilton Coelho (PSOL) e Ana Rita Tavares (PV); a defensora pública de Direitos Humanos, Fabiana Miranda; o representante da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Wellington Pantaleão; a responsável das ações de saúde para a população de rua do Ministério da Saúde, Fátima Marques; e representando a Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza, Adauto Leite.