Queda na receita mantém Salvador no ranking das piores arrecadações per capita

Aud_da_apres_do_relatorio_de_Gestao_Fiscal,_atrave_201622914639820690“Como a situação financeira da administração dialoga com a situação econômica da nossa cidade já que do ponto de vista econômico Salvador não consegue se livrar do círculo vicioso da pobreza? “, questionou o vereador Sílvio Humberto (PSB), vice-presidente da Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização da Câmara ao secretário municipal da Fazenda, nesta manhã (29), durante a apresentação da gestão fiscal do terceiro quadrimestre de 2015.

A preocupação do parlamentar se refere a queda de 10% no valor real da receita do município. “A reforma tributária não foi o suficiente para tirar Salvador dos últimos lugares  de arrecadação per capita”, afirmou Sílvio Humberto citando os inúmeros processos de impugnação gerados por distorções entre valor venal e valor de mercado de imóveis localizados na região soteropolitana.

A forma generalista como a administração trata a arrecadação do Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISS) também foi ponto de crítica. “Precisamos saber quais as atividades econômicas que refletiram na queda da arrecadação do ISS, segmentar os dados e identificar quais os setores que sustentam  a arrecadação do município”, acredita o edil.

Como medida, o vereador Sílvio Humberto sugeriu um fórum com os fazendários.  “A secretaria precisa acreditar  no potencial do seu quadro, de quem está na ponta, ideias extremamente importantes podem ser extraídas e resultar na incrementação da receita tributária municipal”.

Queremos solução para esgoto a céu aberto em Itapuã

DSC_0003Em entrevista para a TV Câmara, neste terça-feira (23), o vereador Sílvio Humberto cobrou que os órgãos públicos resolvam a situação da Travessa Villa Romana, localidade em que os moradores sofrem há décadas com alagamentos e proliferação de insetos, cobras e ratos.

“A comunidade corre risco e é preciso que se garanta com celeridade o que é de direito, o saneamento básico, sobretudo neste momento que estamos enfrentando doenças como a dengue, zika e chikungunya, daremos continuidade a cobrança acionando todos os órgãos competentes para que o problema seja resolvido”, afirmou o parlamentar.

Segundo relatos, cerca de cinco mil moradores da Travessa estão convivendo diariamente com esgoto clandestino, muito lixo e falta de limpeza das ruas.

Dupla responsabilidade: Sílvio Humberto assume a vice-liderança da oposição

O vereador Sílvio Humberto (PSB) assumiu, desde ontem, a vice-liderança do bloco da oposição na Câmara Municipal de Salvador. De acordo com o parlamentar, que segue a frente da presidência da Comissão de Educação, a nova função aumenta a sua responsabilidade, mas que ele segue firme no seu papel de fiscalizar as contas e ações da prefeitura.
“É papel de todo vereador, além de legislar em prol da cidade, fiscalizar as ações da prefeitura, mas a frente do bloco da oposição, essa responsabilidade multiplica. Como vice-líder da oposição acompanharei mais de perto e estarei ainda mais atento a tudo que acontecer em nossa cidade. Apenas reafirmo meu compromisso com Salvador”, disse o socialista.
A proposta é que no segundo semestre, Sílvio Humberto assuma a liderança, substituindo Aladilce Souza.

Músicos de Salvador e o carnaval de Salvador: Várias queixas

Presidente da comissão de Cultura, o vereador Sílvio Humberto (PSB) participou nessa quarta-feira, dia 17, de uma reunião com representantes de músicos de Salvador. Durante o encontro, os artistas reclamaram do processo excludente para a escolha dos profissionais da música que iriam participar da festa como atração.

Silvio Musicos
De acordo com os músicos, que participaram da reunião na Ouvidoria da Câmara Municipal, tanto a prefeitura, quanto o governo do Estado, optaram em apoiar artistas renomados, deixando os chamados operários da música, que tradicionalmente realizam o carnaval da cidade com sérias dificuldades de participar dos festejos. Os critérios utilizados para as escolhas das atrações da maior festa de rua do planeta e o número de shows por banda foram as principais queixas.
Além de colocar a Comissão de cultura à disposição dos profissionais da música, o vereador Sílvio Humberto conclamou a realização de uma série de debates para discutir uma política cultural permanente para o carnaval de Salvador.
“A democratização dos recursos públicos para a apresentação dos músicos deve ser algo estruturante na organização do carnaval. Salvador é considerada a cidade da música pela UNESCO e desrespeita esses artistas? É preciso encontrar uma forma de contemplar todos e todas de forma justa”