Mestre de obras Maria do Amparo condecorada com Medalha Maria Quitéria

maria do amparo“Maria do Amparo possui o mesmo espírito libertário e revolucionário de Maria Quitéria. Por isso, conceder a honraria, além de uma homenagem, é também uma forma de reconhecer a história de luta de uma mulher que ao começar a trabalhar no setor de construção civil rompeu barreiras na década de 70”. Assim o vereador Sílvio Humberto (PSB) justificou a concessão da comenda que leva o nome da heroína da independência baiana à primeira mestre de obras da Bahia, em sessão solene da Câmara Municipal, na noite desta sexta-feira (8). Ele fez questão de destacar que a iniciativa foi da ex-vereadora e atual deputada estadual Fabíola Mansur (PSB).
Sílvio Humberto classificou a trajetória de Maria do Amparo como inspiradora e se disse emocionado diante da justeza da homenagem: “É uma mulher à frente do seu tempo. Ela é uma referência, uma pioneira, abriu caminhos para que hoje outras mulheres possam ser reconhecidas e respeitadas como profissionais da construção civil”.
Em sua saudação a Maria do Amparo, a deputada Fabíola Mansur frisou que decidiu conceder a honraria pelo pioneirismo e importante exemplo de resistência demonstrado pela mestre de obras, que não se deixou abater pelos entraves próprios do machismo que ainda impera no mercado de trabalho. “Precisamos combater todo tipo de preconceito de gênero nas profissões, defender salários iguais para trabalhos iguais”, incentivou.

Direito da mulher

13615435_1100512870021115_8555130886811075700_nAo som da música Maria, Maria, de Milton Nascimento, entoada pelo Coral da Câmara, regido pelo maestro Carlos Veiga, Maria do Amparo foi conduzida ao Plenário Cosme de Farias pela mãe, Maria José.
Pedreira, carpinteira e eletricista, Maria do Amparo Xavier Santos disse que orgulha-se de fazer praticamente tudo em uma obra. Mas, valoriza ainda mais o respeito que conquistou dos colegas em uma profissão predominantemente masculina. “Venci o preconceito com muita persistência e amor à profissão”, declarou emocionada, lembrando que começou a trabalhar aos 14 anos, na construção leve. Com a experiência, passou para as grandes obras, inclusive a do Metrô de Salvador.
Autora do livro “Simplesmente Maria”, uma autobiografia, ela está escrevendo o segundo, com previsão de lançamento em dezembro, narrando entre outras coisas o caso de assédio moral que enfrentou em uma grande empresa responsável pelas obras do metrô. “Entrei com um processo no Ministério Público do Trabalho e no Tribunal Regional do Trabalho. Ganhei a causa em todas as instâncias e a empresa foi condenada. Nós mulheres devemos lutar pelo direito de estarmos onde quisermos, inclusive no mercado de trabalho”, frisou Maria do Amparo, que é secretária de Política para Mulheres do Sintepav-Ba e da Força Sindical.
Além do vereador, da deputada e de Maria do Amparo, saudaram a homenageada e compuseram a mesa da solenidade a secretária estadual de Política para as Mulheres, Olívia Santana; a superintendente municipal de Políticas para as Mulheres, Mônica Kalile; o presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados e vice-presidente da Força Sindical, Nilson Bahia; o diretor financeiro do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada e Montagem Industrial do Estado da Bahia (Sintepav-Ba), Emerson Gomes; e a advogada do Sintepav, Iraci Souza.
Para a entrega da honraria foram convidadas a filha Cristiane e as netas Amanda e Vitória. A sessão fez parte dos ciclos de atividades realizadas pelo vereador Sílvio Humberto em homenagem ao Dia da Mulher Afrolatina e Caribenha, celebrado no dia 25 de julho.

Com informações da Câmara Municipal de Salvador

Primeira mestre de obras da Bahia recebe comenda Maria Quitéria da Câmara Municipal de Salvador

Comenda_mariaqConsiderada a primeira mulher mestre de obras da Bahia, Maria do Amparo, diretora do Sindicato dos trabalhadores da construção civil, recebe nesta sexta-feira, dia 8, a comenda Maria Quitéria da  Câmara Municipal de Salvador. A honraria será entregue pelo vereador Sílvio Humberto (PSB). A solenidade acontece no Plenário Cosme de Farias, às 18h30.
De acordo com o socialista, Maria do Amparo possui o mesmo espírito libertário e revolucionário de Maria Quitéria, por isso conceder a horaria que além de uma homenagem, é também uma forma de reconhecer a história de luta de uma mulher que ao começar a trabalhar no setor de construção civil rompeu barreiras na década de 70.
“Maria do Amparo faz história e a sua trajetória é inspiradora. Ela é uma referência,  pioneira e abriu caminhos para que hoje outras mulheres possam ser reconhecidas e respeitadas como profissionais da construção civil, Maria, uma mulher a frente do seu tempo”, diz o vereador Sílvio Humberto.
Maria do Amparo não esconde que passou por dificuldades, preconceitos e discriminação por ser uma mulher executando um trabalho “masculino”. “Sou pedreira, carpinteira, eletricista. Venci o preconceito com muita persistência e amor à profissão. Quando me davam uma chance de mostrar o meu trabalho, todos aprovavam”, conta.
E nem mesmo o fato de ter sofrido assédio moral em uma das empresas responsáveis pelas obras do Metrô, impediu que Maria do Amparo deixasse sua profissão de lado ou parasse de lutar por melhores condições de trabalho.
“Entrei com um processo no Ministério Público do Trabalho e no Tribunal Regional do Trabalho. Ganhei a causa em todas as instâncias e a empresa foi condenada”, afirma, ressaltando que sempre vale a pena lutar pelos seus direitos.
A sessão de entrega a honraria para a primeira mestre de obras da Bahia faz parte dos ciclos de atividades realizadas pelo vereador Sílvio Humberto (PSB) em homenagem ao dia da mulher afrolatina caribenha, celebrado no dia 25 de julho.

Projeto indica professor(a) de Educação Física nas academias ao ar livre

Segundo Silvio Humberto, a utilização dos equipamentos sem orientação pode causar sérios problemas de saúde

pracaidoso

Foto: divulgação

O vereador Silvio Humberto (PSB) apresentou à Mesa Diretora da Câmara, o Projeto de Indicação n° 425/2016, solicitando que a prefeitura disponibilize profissionais de educação física para acompanhar a população que utiliza os equipamentos de ginástica ao ar livre.

“A utilização destes equipamentos sem o acompanhamento de um profissional de educação física pode causar um risco a saúde de seus usuários. Os profissionais de educação física são os únicos habilitados para planejar o grau de dificuldade do exercício para cada indivíduo, a quantidade de repetições, postura ideal, execução do movimento e as restrições”, destaca o vereador.

O texto da proposta ainda ressalta as consequências da realização de atividades sem orientação dos profissionais: insônia; cansaço; dores musculares; problemas articulares; aumento da pressão arterial; e batimentos cardíacos alterados.

 

Informações: Câmara Municipal de Salvador