“Quase nada”, diz Sílvio Humberto sobre receita destinada à saúde da população negra

pop-negra1

Imagem: Internet

Na data em que marca a mobilização nacional em prol de políticas públicas para a saúde da população negra, 27 de outubro, o vereador Sílvio Humberto (PSB) criticou os valores previstos para “Implementação da Política de Saúde Integral da População Negra” no município de Salvador para o próximo ano. “Não houve nenhum ajuste, apesar do aumento da receita”, ressalta o vereador.

O orçamento da prefeitura que saltou de R$6,6bi para R$6,7bi, de acordo com a estimativa da Lei Orçamentária Anual, não alterou o valor de R$142 mil que foi destinado ao programa em 2016. O mesmo ocorreu com o   “Programa de Atenção Integral aos Portadores de Anemia Falciforme”, que houve uma ampliação de apenas R$1 mil. “Infelizmente é uma marca desta administração não priorizar ações e programas de qualidade para a população negra, que é maioria no município”, lamenta Sílvio Humberto e complementa

Para a Secretaria da Reparação “o que era pouco ficou ainda menor”, diz o parlamentar após constatar uma redução de quase 32%. “Em plena Década dos Afrodescendentes o resultado: Salvador continuará  a ‘ostentar’ a liderança da mais desigual racialmente entre as capitais brasileiras”.