Por que Dia da Consciência Negra?

silvio humberto

Por Sílvio Humberto Passos Cunha

É um marco civilizatório para que possamos lembrar sempre, sobretudo às novas gerações, que a escravidão existiu, que o racismo existe e continua a estruturar as relações de poder em nossa sociedade. O 20 é uma conquista! Uma afirmação de que as nossas diferenças não podem ser objetos de desigualdade. O problema não é sermos diversos, a questão maior é quando estas diferenças se transformam em desigualdades.

É tão importante essa celebração que nós observamos essas tentativas de consciência humana, mas o que nós estamos reivindicando com a consciência negra é a afirmação da nossa humanidade, porque não podemos esquecer que o racismo retira de todos os lugares onde ele estrutura, a humanidade das pessoas. Por tudo isso temos que continuar a dizer que Zumbi vive e e que 20 de novembro é dia Nacional da Consciência Negra e parafraseando Limeira “Se Palmares não vive mais, faremos Palmares de novo”.

Igualdade Racial: Câmara traz resgate histórico e desafios em Sessão Especial

A Comissão de Reparação da Câmara de Salvador, realiza na próxima segunda (21), a Sessão Especial em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra, o evento acontece no Plenário Cosme de Farias, às 9 horas.

img_20161117_120106

Promotora de Justiça Lívia Vaz e militante do mov. negro Gilberto Leal. Fotos: imprensa

O coordenador da Nacional de Entidades Negras, Gilberto Leal, é um dos convidados e trará a história do movimento negro brasileiro. “Este convite feito ao militante histórico, um dos fundadores do movimento negro na Bahia, é para resgatar, sobretudo para a atual geração, como começou a nossa luta, até conquistarmos uma data nacional, uma prova inequívoca da força do movimento negro brasileiro”, explica o vereador Sílvio Humberto (PSB), membro da Comissão de Reparação e militante forjado no movimento negro.

Para discutir os desafios na atualidade, a Comissão de Reparação convidou a promotora de Justiça Lívia Vaz. “A fraude no sistema de cotas é uma realidade, isso mostra que não basta ter as ações afirmativas, a sociedade precisa monitorar as conquistas e o Ministério Público assegurar o cumprimento legal, principalmente nesse momento de crise, quando o debate se coloca mais forte”, completa o parlamentar.

Dia Nacional da Consciência Negra

O dia 20 de novembro faz menção à consciência negra a fim de ressaltar as conquistas e os desafios para alcançar a igualdade racial no país. A escolha da data foi em homenagem a Zumbi, o último líder do Quilombo dos Palmares, levantado para abrigar escravizados fugitivos que não suportavam mais viver privados de direitos e liberdade.

“Um brado pelo respeito”, sintetiza Sílvio Humberto sobre caminhada contra intolerância religiosa

Percorrendo o bairro da Federação, caminhando pela Vasco da Gama e encerrando onde tudo começou, no fim de linha do Engenho Velho da Federação. Neste trajeto, pessoas vestidas de branco caminharam e saudaram terreiros de candomblé pedindo paz e respeito às religiões de matriz africana, durante a 12º Caminhada contra a Intolerância Religiosa, na tarde da última terça-feira (15).

15095610_1344201722259495_4232003690748432030_n

Foto: Leo Ornelas

“Participo da caminhada há muitos anos, antes de ser vereador, porque acredito que todos 15109410_1227886090617125_7011180387524393860_ntêm liberdade e o direito de se religar com o que acredita, o caráter e a honestidade de alguém não podem ser medidos pela religião”, diz o vereador Sílvio Humberto (PSB), nesta manhã (16) em entrevista ao programa Acorda pra Vida, na rádio Excelsior.

Considerado o Dia Internacional para a Tolerância, o parlamentar parabenizou a organização e avaliou a passeata como “um brado contra o racismo, pelo respeito” e acrescentou “fomos passando pedindo paz porque estamos vivendo também num clima de violência e não podemos dar espaço para qualquer sentimento de intolerância”.