Comissão de Cultura discute avanços para as políticas municipais

Audiencia_publica_da_Comissao_de_Cultura_-ft_Regin_201745133322852184

Foto: Reginaldo Ipê

Produtores, ativistas, conselheiros e representantes de entidades culturais lotaram o auditório Bahia Center, nesta manhã (05), para debater com representantes do poder público a ampliação das políticas de cultura do município. A reunião foi a primeira atividade aberta da Comissão de Cultura da Câmara de Salvador para a construção da agenda de atuação do colegiado neste semestre.

Gildete Ferreira, assessora chefe de gestão estratégica da Fundação Gregório de Matos, iniciou a reunião pontuando as ações de cultura realizadas pela gestão municipal. “Foram efetivados registros de bens materiais e culturais, que inclui o tombamento terreiros de candomblé, restauração e manutenção de monumentos públicos, requalificação de equipamentos culturais, a exemplo do Teatro Gregório de Matos e investimentos em editais contemplando diversos segmentos culturais”, listou.

Importância da Leitura

A valorização das bibliotecas comunitárias e a construção da biblioteca pública municipal devem ser ações prioritárias da gestão municipal, acredita Zulu Araújo, diretor da Fundação Pedro Calmon. “O índice no analfabetismo funcional é gritante e nesse sentido biblioteca pública é fundamental, Salvador é a única capital do país com quase três milhões de habitantes que não tem uma biblioteca municipal em funcionamento”, destacou Zulu.

audiencia_publica_da_comissao_de_cultura_-ft_regin_201745133955357571.jpg

Foto: Reginaldo Ipê

A representante da Rede de Bibliotecas Comunitárias, Ladailza Teles, também assegura que o caminho é o investimento numa política pública de leitura.  “Não dá para pensar em ações pontuais, é preciso recurso para subsidiar uma política pública de estímulo a leitura nas escolas e nas bibliotecas, principalmente das comunidades periféricas”, reforçou Ladailza, complementando que prefeitura necessita transformar o decreto Plano Municipal do Livro, Leitura e Biblioteca em lei para garantir perenidade e investimento.

Sistema Municipal de Cultura

A consolidação do Sistema Municipal de Cultura foi defendida por Freitas Madiba, representante o Conselho Municipal de Política Cultural de Salvador. Freitas sinalizou que a Comissão de Cultura deve colaborar para a efetivação da totalidade do sistema. “Se a comissão contribuir para a efetivação do Sistema já vai estar fazendo muito, garantindo o destino dos recursos e de forma perene, porque será uma política de estado e não de governo”, propôs.

A qualidade das intervenções demonstrou que foi assertivo o desmembramento da antiga Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, de acordo Sílvio Humberto (PSB), presidente da Comissão de Cultura. “Pelo universo das demandas ficou evidente que a cultura é um dos eixos para pensar o desenvolvimento sócio econômico da nossa cidade e quando você pensa na vulnerabilidade dos jovens negros a cultura salva vidas, o que nós propomos  hoje foi um panorama para o desdobramento das discussões das políticas setoriais” explicou o parlamentar

O esvaziamento do Pelourinho, a baiana de acarajé como patrimônio municipal, a valorização da capoeira, do audiovisual e das manifestações locais foram pontos abordados e devem ser destaques nas próximas discussões do colegiado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s