Roda de conversa debate dinamização das atividades culturais em Cajazeiras

Cajazeiras 2

Músicos, donos de bares, sambistas, produtores culturais e membros da comunidade de Cajazeiras se reuniram, na noite desta terça-feira (02/05), na Kafua do Bral, espaço de eventos situado em Cajazeiras X, para uma roda de conversa sobre as demandas culturais da região. O evento, intitulado ‘Promovo Cultura, Não Barulho’, foi uma iniciativa da comunidade, que provocou o mandato do vereador Sílvio Humberto (PSB) para a realização da atividade.

O objetivo foi o de debater as dificuldades e as possibilidades para o setor, tendo o intermédio do vereador, que é presidente da Comissão de Cultura da Câmara Municipal de Salvador. A Lei do Silêncio e a atuação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sucom), no cumprimento da referida legislação, foi o principal assunto da discussão. Os proprietários de estabelecimentos e os produtores culturais reclamaram do despreparo e da falta de diálogo com os prepostos do órgão.

Sílvio Humberto colocou o seu mandato e a Comissão de Cultura à disposição do bairro, no sentido de garantir a interlocução com o Poder Público para a resolução dos impasses e a promoção da Cultura na região. “Precisamos ter em mente que as atividades culturais e os espaços que as promovem são vetores de geração de renda para o bairro”, pontuou.

Deliberações – O vereador defendeu que, o que se promove nos estabelecimentos “não é simplesmente a música pela música”. Para ele, cada uma destas iniciativas gera um contingente de trabalho e faz o dinheiro circular na localidade. “Isso precisa ser estimulado pelo Poder Público e não coagido”, alertou o vereador. O mandato se dispôs a auxiliar a regulamentação e legalização das casas de espetáculos e atividades culturais do bairro. Foi deliberada ainda, a sequência da discussão, colocando à mesa representantes do Executivo em busca de soluções e melhorias para as questões apresentadas.

Participaram do encontro, representantes de iniciativas exitosas implementadas em bairros de Salvador, como Cassia Magalhães, da comissão responsável pela organização do Carnaval no Nordeste de Amaralina; e Lázaro Cunha, diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), e membro do coletivo ‘Faz Mais Garcia’; além do presidente do Conselho Municipal de Políticas Culturais, Eucimar Freitas (Freitas Madiba).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s