Comunidade pressiona Smed para manter abertas escolas municipais

Com faixas e cartazes na Praça Municipal, estudantes e seus familiares estiveram mobilizados contra o fechamento de escolas municipais em Salvador, na manhã desta segunda-feira (08). O movimento, que tem o apoio de vereadores e da Associação dos Professores Licenciados do Brasil (APLB-BA), surgiu após o anúncio, no mês de dezembro, do fechamento das escolas municipais Cosme de Farias, Allan Kardec e Nossa Senhora da Salete.WhatsApp Image 2018-01-08 at 10.48.14

 

Após a manifestação, uma comitiva se dirigiu ao Ministério Público da Bahia (MP-BA) para solicitar uma medida que barre o processo, já posto em andamento pela Secretaria Municipal de Educação (Smed). “A Allan Kardec tem mais de 90 anos, com um ótimo índice de aprendizado, quais critérios são utilizados pela Smed para fechar uma escola como essa, nem eu, nem minha filha estávamos preparadas para essa mudança inesperada que vai gerar custos”, relatou Rosana Santos à promotora Maria Pilar.

Além dos gastos com deslocamento, do ponto de vista pedagógico o aprendizado também ficará comprometido. “As crianças terão que se adaptar a escolas com um maior número de estudantes por sala. Não consigo entender os motivos para fechar uma escola como o Salete, existe também uma relação do aluno com o professor, é uma escola comprometida com a educação”, relatou a mãe de uma estudante, Maria Bernadete.

WhatsApp Image 2018-01-08 at 11.19.07

O vereador Sílvio Humberto (PSB), que esteve em reunião com o secretário Bruno Barral em dezembro, acredita que as justificativas não visam uma educação pública de qualidade. “Falta empatia, definitivamente eles não se importam, um prédio que era um antigo telemarketing, cheio de escadas servir para juntar alunos da educação infantil, fundamental I e II, sem ouvir quem está no chão das escolas, vai gerar um prejuízo no aprendizado irreparável”, destacou o parlamentar citando a nucleação das escolas Alexandre Leal, Cosme de Farias e Soror Joana Angelica.

A promotora Maria Pilar afirmou que vai solicitar a Smed explicações  sobre o fechamento e nucleação das unidades. Participaram da reunião os vereadores Sílvio Humberto (PSB), Aladilce Souza (PCdoB), Marta Rodrigues (PT), representantes da APLB-Sindicato, mães de estudantes e educadores.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s