12 anos da Lei Maria da Penha

Hoje, 07 de agosto de 2018, celebramos 12 anos de lutas e conquistas da Lei Maria da Penha.   Lei que tem como papel proteger as mulheres contra à violência doméstica e familiar, envolvendo os seus diversos modos.

O agressor, não é necessariamente o marido ou companheira. Mesmo com a atuação da Lei Maria da Penha, as mulheres negras continuam sendo assassinadas sem a proteção do estado, uma vez que as delegacias especializadas ainda possuem um processo de atuação fragilizado e com lacunas. Mesmo premiada internacionalmente e tendo o feminicídio como  uma inovação jurídica, essas conquistas legais ainda não  garante a proteção das  mulheres e em  especial das mulheres negras.

O combate a violência feminina não deve ser somente pelos  órgãos públicos, mas –  acima de tudo – por cada um de nós.

 Combate a violência contra a mulher, do mesmo modo que o racismo não é unicamente uma mudança de pensamento. Esse combate envolve  também posturas, ações, costumes e falas.

Hoje, não é dia de somente comemorar, mas de conscientizar e combater a violência contra a mulher. Se queremos mesmo mudar essa realidade, é preciso encarar que a desigualdade de gênero se apresenta como um obstáculo a ser ultrapassado junto aos do racismo.

Manifestação dos professores termina em conflito

Na manhã desta terça-feira (07), aconteceu a manifestação de professores da rede municipal de Salvador, em frente a Secretaria Municipal de Educação (SMED), localizada na Avenida Anita Garibaldi, onde a guarda municipal foi acionada.

A guarda municipal entrou em confronto com os professores, utilizando-se de bombas de efeito moral contra os manifestantes. “A atuação sem identificação demonstra a necessidade de se reavaliar os procedimentos de cuidado e atenção para com esses”, defende o vereador Sílvio Humberto, também professor e um dos fundadores do Instituto Cultural Steve Biko.

Sílvio afirma que a Educação é o princípio de tudo. Se um gestor entende que esse modelo de inflexibilidade é a forma adequada de tratar trabalhadoras e trabalhadores, temos então um grave problema de incompreensão e insensibilidade acerca da importância da Educação, e também do respeito às servidoras e servidores. A greve municipal dos professores é um claro sinal de falta de diálogo. A truculência da Guarda Municipal do prefeito de Salvador, é apenas reflexo da postura do gestor.

O edil, que já presidiu a Comissão de Educação da Câmara Municipal, também se posicionou ao uso da truculência contra professores, formadores da sociedade. “Prefeito, as armas são outras. Se chamam sensibilidade e eu me importo”.

Sobre a greve

Os docentes pedem reajuste salarial de 6,8%. Em contrapartida, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) ofereceu apenas 2,5%. A categoria também clama por 10% de aumento no auxílio alimentação e eleição do diretor escolar, ao invés indicação da secretaria. Vale ressaltar que os servidores públicos da Educação estão há 3 anos sem reajuste salarial. A greve chega a 28 dias sem que esse impasse seja resolvido.

Sessão especial homenageia Unegro

Antonio Queirós

Créditos: Antônio Queiros

Os 30 anos da União dos Negros Pela Igualdade (Unegro) serão comemorados com sessão especial na Câmara Municipal de Salvador no próximo dia 8, às 19h, no Plenário Cosme de Farias. A iniciativa é do vereador Sílvio Humberto (PSB), que ressalta a importância do trabalho da união, fundada em 14 de julho de 1988.

“Trata-se de um reconhecimento à trajetória exitosa de uma organização que, ao longo de três décadas, vem lutando pelo enfrentamento ao racismo e ao sexismo”, afirmou o vereador. Segundo o parlamentar, é uma honra homenagear uma entidade que luta pela construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Ele reforça a importância da Unegro na “batalha pela construção coletiva de uma sociedade mais justa”.

Presidente da entidade, Ângela Guimarães afirma que, no marco dos seus 30 anos, a Unegro continua atuante no combate ao racismo e ao machismo, “lutando por uma sociedade com justiça social, equidade e livre da exploração de classes”.

Fonte: Site da Câmara Municipal de Salvador