Blocos doam alimentos para Creche do Capim, no Nordeste de Amaralina  

Carnaval6

Como resultado de um carnaval de alegria, desenvolvimento local e solidariedade, o grupo de blocos carnavalescos do Nordeste de Amaralina ‘Juntos do Nordeste’, realizou, na última quinta-feira (08/03), o ato de doação dos alimentos arrecadados com a distribuição dos abadás das entidades.

A Creche Escola da Fraternidade, localizada no Capim do Nordeste de Amaralina, foi a instituição escolhida para receber as doações, o presidente da Creche, Adalberto Souza Lopes, agradeceu a ação, explicou as dificuldades enfrentadas pela instituição e defendeu que ações como essa de moradores e apoiadores é fundamental para garantir uma prestação de serviços adequadas para as crianças do bairro.

Carnaval5O Juntos do Nordeste é uma junção dos blocos Merendas, Velha Guarda, 40 Graus e Junte-se. As entidades tiveram apoio da Bahiagás, Bahiatursa e da Associação de Blocos Carnavalescos Circuito Mestre Bimba para desfilar. Para 2019, os organizadores querem manter esse caráter de fazer o carnaval, promover a diversão da comunidade e praticar a solidariedade.

Eleitores e apoiadores dão o tom da Plenária do vereador Sílvio Humberto

Sílvio Humberto - Ascom

Um círculo de cadeiras e de ideias. Foi assim que o vereador Sílvio Humberto (PSB) definiu a sua Plenária de Avaliação do Mandato, realizada neste domingo (04/03), da sede do Partido Socialista Brasileiro (PSB), no bairro do Rio Vermelho. O parlamentar se referiu ao formato dado para a organização do evento, onde as cadeiras do auditório foram arrumadas em formas de círculos e a palavra foi dada, em primeira ordem, aos participantes da atividade.

O objetivo do encontro, conforme explicou o legislador, foi de prestar conta aos eleitores e apoiadores, sobre a atuação do mandato no segundo semestre do ano passado. “Adotamos, desde o nosso primeiro mandato na Câmara Municipal, a realização desta prestação de contas aos nossos eleitores. São eles, afinal, a razão do nosso trabalho e pensamos que não podemos deixar de dar este parecer”, esclareceu o edil.

Sobre a proposta de uma organização diferenciada e da mudança da ordem das falas, Sílvio pontuou que, “diante do momento que atravessa a política brasileira, entendemos que é preciso, mais do que nunca, olhar nos olhos das pessoas”. Para o vereador, o momento é de aproximar as pessoas da política, convocando para que elas se envolvam nas discussões que definem os rumos da nação. “Por isso a nossa opção por ouvi-las antes. Há um anseio muito grande da população de saber o que de fato está ocorrendo. As pessoas são bombardeadas por informações e carecem de momentos de análise desse material. Foi essa a nossa intenção com este novo modelo”, assinalou.

Renovação – A plenária contou com a participação da presidente estadual do PSB, a senadora Lídice da Mata, eleita neste final de semana, durante o Congresso Nacional do partido, realizado em Brasília, uma das vice-presidentes nacionais da sigla. A líder do PSB estadual elogiou a proposta do vereador, destacando a “renovação e oxigenação do partido”, representada pela atuação de Sílvio Humberto, em Salvador.

Durante a atividade e após as falas dos participantes, que trouxeram agradecimentos, questionamentos e provocações, foram apresentadas as iniciativas, projetos, ações e posicionamentos do mandato ao longo de 2017, e as propostas de atuação para o parlamentar em 2018.

Preservação da história do Carnaval de Salvador é defendida na Câmara

Silvio Humberto_foto_Antonio_Queiros

Proposta de criação de um Fundo Municipal foi apresentada pelo vereador Sílvio Humberto

A atuação do vereador Sílvio Humberto (PSB), neste primeiro ano da sua segunda legislatura (2017-2020), foi passada em revista pelos seus eleitores, neste domingo (04/03), durante a Plenária de Avaliação do Mandato, realizada na sede do PSB (Rio Vermelho). Dentre os vários tópicos apresentados para a avaliação dos participantes, foi destaque as proposições legislativas do parlamentar.

Apesar de a análise ter como foco o ano passado, o vereador fez questão de destacar um Projeto de Indicação (PI) protocolado na primeira sessão ordinária do ano de 2018, que propõe a criação do Fundo Municipal para Preservação da Memória do Carnaval. A proposta visa garantir recursos públicos oriundos da arrecadação com a festa, para que o legado do carnaval e a sua história sejam preservados. “A história e evolução da maior e mais popular festa do planeta merecem o reconhecimento e incentivo especial do Poder Executivo Municipal”, defendeu Sílvio.

Propostas – O parlamentar falou sobre o trabalho do legislador e a importância das proposições para a formulação de políticas e de leis que assegurem melhorias para a vida dos cidadãos. “Dentre as atribuições do vereador, o papel de propor leis é um dos mais importantes. Por isso, ficamos atento às demandas da cidade, tendo em vista a formulação de propostas que garantam benefícios efetivos para a população”, esclareceu.

Ao longo de 2017, 51 projetos foram apresentados pelo mandato. Foram 11 projetos de indicação, oito projetos de lei, 16 requerimentos especiais, oito moções, cinco requerimentos de utilidade pública e 03 projetos de resolução. Para o parlamentar, este conjunto de iniciativas, somadas a outras também provocadas pelos cidadãos, que acionam o seu gabinete ou o abordam pelas ruas da cidade, representa a síntese daquilo a que se propõe o seu mandato, “que é atuar em sintonia com os anseios da coletividade”, pontuou o edil.

 

Bate-papo Ibejis inscreve público infantil até 06 de março

Bate-papo Ibejis - Divulgação (1)

Projeto vai levar informações para crianças sobre religiões afro-brasileiras

Transmitir saberes sobre as religiões afro-brasileiras, numa versão adaptada para o público infantil de Salvador. Essa é a proposta do projeto Bate-Papo Ibejis Itinerante.  Prevendo realização de oficinas de transmissão oral, contação de mitos e atividades artístico-culturais, o programa recebe inscrições até o dia 6 de março e é voltado para crianças entre 6 e 12 anos, com autorização dos seus responsáveis pelo e-mail: comibejis22@gmail.com.

O projeto tem apoio do Centro de Culturas Populares e Identitárias, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia e será realizado em três espaços religiosos, nos bairros da Liberdade, Engenho Velho da Federação e Fazenda Coutos (Terreiros Hunkpame Savalu Vodun Zo Kwe, Ilê Axé Alarabedê e Ilê Axé Torrun Gunan, respectivamente). A iniciativa pretende alcançar 120 crianças de religiões diversas e chamar a atenção para o respeito aos terreiros e principalmente, aos candomblecistas.

“Além de compartilhar as nossas tradições para esse público, que é sempre tão aberto ao novo, queremos promover o respeito à ancestralidade africana e o que por ela nos foi deixado, focando na religiosidade, face a tantos casos de intolerância contra o povo de santo”, explica Daniela dos Santos, que é candomblecista, formada em Gestão Cultural e idealizadora do projeto.

O programa será dividido em três módulos e terá o acompanhamento de uma equipe pedagógica. Sua realização será aos sábados, nos três terreiros, entre os meses de março e setembro, e com previsão de atividades externas, a exemplo de visitas aos museus de Salvador.

Ibejis, o que significa?

Bate-papo Ibejis - Divulgação (2)Ìbejì ou Ìgbejì é uma divindade gêmea da vida e protetor dos gêmeos na mitologia africana iorubá. Na tradição do candomblé é representado pelos Orixás Ibejis, gêmeos que carregam a felicidade em seus corações e veem a vida com os olhos de criança. Representam a continuidade da vida.

Informações:

Assessoria de Comunicação do Projeto Bate-papo Ibejis

(71) 99265-7564

facebook.com/pg/batepapoibejis/photos/?ref=page_internal

Vereador comemora aniversário em sessão de cinema ao lado de crianças

Sílvio Humberto_Cinema_Assessoria

Sílvio Humberto: “Foi uma das mais significativas comemorações que fiz na vida”

O vereador Sílvio Humberto (PSB) comemorou o seu aniversário, na última terça-feira (27/03), ao lado de 50 jovens e crianças, que o acompanharam numa sessão de cinema no Espaço Itaú de Cinema – Glauber Rocha (Praça Castro Alves). A iniciativa do parlamentar contou com o apoio de amigos, que colaboraram doando ingressos para os jovens e crianças oriundos dos bairros do Garcia e Federação, locais onde Sílvio viveu a sua infância.

O legislador disse que aproveitou a oportunidade do filme Pantera Negra, da Marvel Comics, estar em cartaz, em Salvador, e decidiu levar jovens negros para uma tarde de diversão, e também de reflexão, já que o filme, um sucesso de bilheteria, tem atraído o público também pelo seu caráter de representatividade e valorização do negro. “Já vinha acompanhando a repercussão do filme, desde o seu lançamento, e achei oportuno me presentear com a companhia destes garotos e garotas, e também promover para eles essa tarde significativa”, destacou Sílvio.

As crianças assistiram ao filme ao lado do vereador, com direito a pipoca e refrigerante. Jarran Cruz (12 anos) disse que achou muito bom o filme. “Primeiro pelo herói se esforçar para ajudar as pessoas, depois, porque quase nunca vejo gente negra nos filmes da Marvel”, pontuou. Ele ressaltou também a preocupação da Pantera Negra com o mundo. Ailton Silva (09 anos), gostou da aventura e da ação da história. “Gostei de ele ter um filme sozinho e de quando se transformou em Pantera Negra”. O menino disse sorrindo, que achou o pai do herói parecido com o seu pai, “por causa da barba”.

Sílvio se declarou muito agradecido a todos os amigos que colaboraram com a sua ideia. “Foi uma das mais significativas comemorações que fiz na vida”, ressaltou. Para ele, gestos como este fazem toda a diferença. “A mensagem do filme nos toca, porque, entre outros aspectos, rompe com os estereótipos e olha para frente. Em tempos de crise, temos que fazer pontes e não levantar barreiras”, arrematou o edil.

O filme – A personagem principal do filme é o rei-guerreiro T’Challa, mais conhecido como Pantera Negra, da nação africana fictícia de Wakanda. O herói de rosto africano, interpretado por Chadwick Boseman, é a estrela da primeira grande produção cinematográfica derivada dos quadrinhos da Marvel, em 20 anos, a trazer um protagonista (e um elenco principal) negro para o centro da tela.

Olodum sem Cordas arrasta multidão no Circuito Osmar

Sílvio Humberto_Olodum_Ascom 2A Banda Afro Olodum arrastou uma multidão na tarde desta segunda-feira (13/02), no Circuito Osmar (Campo Grande), ao lado de Andrew Tosh, filho do lendário cantor jamaicano Peter Tosh. O projeto Olodum sem Cordas teve total aceitação dos foliões, que balançaram a avenida ao som dos tambores poderosos do samba reggae baiano. Essa não é a primeira participação de Tosh em projetos com o Olodum, o cantor já participou da gravação de uma faixa do DVD ‘O Povo das Estrelas’, do grupo baiano. E a banda do Pelourinho também já teve participação em um DVD do cantor jamaicano.

O presidente da Comissão de Cultura da Câmara Municipal de Salvador, vereador Sílvio Humberto (PSB), “colou na corda” da Banda do Pelô e desceu a avenida no suingue do Olodum. O parlamentar diz que cumpre uma dupla função ao acompanhar o desfile do bloco. “Venho como presidente do colegiado na Câmara, mas, principalmente, como folião e seguidor histórico do Olodum e dos demais blocos afros baianos”, assinala. Sílvio esteve na saída do Olodum, na sexta-feira de carnaval (09/02), acompanhou a saída do Bloco Afro Ilê Aiyê, no Curuzu, no sábado (10/02), e desfilou nos Filhos de Gandhy, no domingo (11/02).

“Faço isso desde sempre. Desfilar nos blocos afros, mais do que uma atitude de folião, é um gesto de militância. Essas entidades são muito mais do que recreativas. São movimentos políticos e sociais de resistência e luta”, defende o legislador. Sílvio destacou os baixos índices de violência associados aos desfiles dos blocos afros. Segundo ele, relacionado com a conscientização promovida pelas entidades. Com relação à violência, o vereador alertou ainda, sobre a necessidade de se repensar o modo de atuação do aparato de segurança, tanto do Estado como do Município.

“Acompanhei a passagem da Pipoca do Kannário nesta segunda-feira (12/02), e fiquei estarrecido com a violência gratuita promovida pelos agentes que deveriam garantir a segurança das pessoas”, reclamou Sílvio. Para ele, nada justifica a postura dos agentes, senão a discriminação com o público que segue o artista. “Multidões também são arrastadas por outras pipocas, como a do Baiana System, por exemplo, e não vemos atitudes semelhantes dos policiais e guardas municipais”, analisa o parlamentar. A pipoca do cantor e também vereador Igor Kannário atrai, no carnaval, um público formado majoritariamente por pessoas de uma determinada classe social, e isso, segundo o edil, é que define a atuação do aparato de segurança.