Salve o 15 de Maio! Dia da(o) Assistente Social

WhatsApp Image 2018-05-15 at 15.28.55

Em mais um 15 de Maio, a categoria das(os) Assistentes Sociais comemora o seu dia, com debates e atos públicos por todo o País. Com o tema ‘Nossa Escolha é a Resistência: somos classe trabalhadora’, as atividades desse ano denunciam a regressão dos direitos sociais e as precárias condições de trabalho dos profissionais. O atual desmonte dos serviços e programas sociais e o avanço da onda conservadora e reacionária têm afetado fortemente o trabalho das(os) assistentes sociais.

O compromisso dos conselhos Federal e Regional da Bahia é aproximar a categoria do conjunto dos trabalhadores e trabalhadoras, se opondo a todas as formas de opressão e discriminação. O mote é a defesa irrevogável das bandeiras de lutas históricas, pela garantia das políticas públicas, principalmente da Saúde, Educação, Assistência e Previdência Social e dos Direitos Humanos.

Nosso mandato se sente identificado com a trajetória de mais de 80 anos do Serviço Social no Brasil e comunga plenamente com os princípios fundamentais do Código de Ética da profissão: em defesa da Democracia, da Equidade Social, da Liberdade e da Justiça. Ratificamos, assim, o posicionamento das entidades representativas da categoria, ao afirmarem: “Não é possível falar de resistência no Brasil atual, sem associar isso ao combate ao racismo, em suas diversas manifestações, e às desigualdades produzidas e reproduzidas sob a ordem do capital”.

Nosso reconhecimento a essa aguerrida categoria, pela importante contribuição na construção democrática da nossa cidade, do nosso estado e do nosso país. Saudações pela presença marcante na vida social brasileira, sempre atenta às demandas dos trabalhadores, dos segmentos socialmente discriminados, das mulheres, dos negros, das crianças, adolescentes e jovens e das famílias atendidas nos programas sociais.

Continuem contando com o nosso respeito e apoio incondicional para a inclusão oficial da(o) assistente social na Política de Educação e no Programa Saúde da Família.

130 Anos da Abolição: O dia seguinte!

 

diaseguinteTodo esse tempo já se passou e até onde conseguimos chegar?

Essa é a questão central, sobre a qual devemos refletir no dia de hoje. Lutamos e resistimos desde sempre. Ainda que presos aos grilhões, o nosso povo enfrentou, lutou e resistiu. Um sem-fim de estratégias foram utilizadas para nos mantermos vivos, física e culturalmente.

Nada nos foi dado. Nem antes nem nunca. Tudo o que conquistamos foi resultado de muita dor e luta. Muitos ficaram pelo caminho e muitos outros tombam, diariamente, pelas ruas das grandes cidades. O processo de nos silenciar e nos relegar os piores lugares continua em curso e não nos deixa alternativa, senão enfrentar, altivos e firmes.

O cenário político atual e o avanço do conservadorismo configuram um quadro ainda mais adverso. Novas estratégias precisam ser engendradas para o enfrentamento da perversidade do racismo. A igualdade de direitos é o nosso horizonte e sem ela não nos conformaremos.

Se junte a nós e vamos juntos caminhar nesta direção!

Fé na Gente!

Comissões de Cultura e da Reparação da Câmara debatem LOM

Sílvio Humberto_Moisés Rocha - Ascom 1

Em fase de discussão com a sociedade, o texto reformado da Lei Orgânica do Município de Salvador (LOM) passará, na próxima segunda-feira (14/05), a partir das 09h, por mais uma revisão pública, durante a realização da audiência ‘Cultura & Reparação: Nova proposta da LOM’. Desta vez, os tópicos debatidos serão os capítulos VIII e XI, da Cultura e do Negro, respectivamente. A realização da audiência, é uma iniciativa conjunta das Comissões de Cultura e da Reparação da Câmara Municipal.

O debate será realizado no auditório do Edifício Bahia Center – Anexo da Câmara Municipal (Centro) e contará com a participação de gestores culturais, produtores de Cultura e artistas, além de militantes do movimento negro e de entidades ligadas à luta contra o racismo. O objetivo é coletar, junto aos cidadãos e a especialistas, contribuições para o aprimoramento dos referidos capítulos da Constituição Municipal.

Os vereadores Sílvio Humberto (PSB) e Moisés Rocha (PT), presidentes das comissões de Cultura e da Reparação, respectivamente, explicaram a motivação para a realização da sessão conjunta e também para a escolha da data. “14 de maio é um dia emblemático para a população negra brasileira. É o chamado ‘Dia Seguinte’, quando o povo negro foi jogado na sarjeta sem nenhum direito reconhecido”, relembrou Sílvio, fazendo alusão ao fim da escravização formal e ao descaso do Estado brasileiro com esta parcela da população.

Resistência – Moisés Rocha defendeu a Cultura como um elemento fundamental de resistência do povo negro. “Por isso decidimos debater estes dois temas juntos. Foi primeiro através da Cultura e depois na luta por direitos que o nosso povo construiu a sua cidadania. Esta audiência é mais um passo nessa caminhada”, justificou o parlamentar.

A Lei Orgânica do Município apresenta os princípios que fundamentam a organização da cidade. A LOM trata de temas essenciais para o sistema de planejamento municipal, como o orçamento público, a fixação de tarifas, a arrecadação de tributos e também o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU).

 

SERVIÇO

O que: Audiência pública ‘Cultura & Reparação: Nova proposta da LOM’;

Quando: Segunda-feira (14/05), a partir das 09h;

Onde: Auditório do Edifício Bahia Center – Anexo da Câmara Municipal – Rua Ruy Barbosa, nº 27 – Centro;

Realização: Comissões de Cultura e da Reparação da Câmara Municipal.

Link para acesso ao Projeto de Emenda de Revisão à Lei Orgânica do Município de Salvador – ver capítulos VIII e XI, da Cultura (página 79) e Do Negro (página 83): https://silviohumberto.files.wordpress.com/2018/05/projeto-1-2018-lom.pdf

Mães do bairro da Federação comemoram o seu dia com a Tia Má

Projeto Mães em Movimento

Um programa diferente para comemorar o Dia das Mães. Essa é a proposta do projeto ‘Mães em Movimento’, do Conselho Beneficente dos Moradores da Rua Miguel Lemos e Adjacências. A iniciativa conta com o apoio do vereador Sílvio Humberto (PSB) e vai levar cem mães, moradoras da Federação, ao Teatro Castro Alves (TCA), para assistir ao espetáculo ‘Tia Má com a Língua Solta’, com a jornalista Maíra Azevedo.

stand up, que já circulou diversos teatros da cidade e também de outros estados, será apresentado neste domingo (13/05), às 11h, na Sala Principal do teatro, no projeto Domingo no TCA. A comédia aborda a “abolição da escravatura” no Brasil e debate com humor temas como racismo, machismo e violência contra as mulheres.

O Conselho dos Moradores da Rua Miguel Lemos promove, todos os anos, ações de integração e entretenimento para as mães do bairro, homenageando duas representantes que se destacam pela alegria de viver e pela participação nas questões da comunidade. Caminhadas, café da manhã e sorteios já marcaram a data em outros anos.

Reflexão – Esse ano, o presente para as mães proporciona lazer e reflexão sobre assuntos que estão na agenda da sociedade brasileira. O vereador Sílvio Humberto elogiou a iniciativa e o seu caráter lúdico e político. “É bom podermos colocar o nosso mandato à disposição de iniciativas que cumpram esta dupla finalidade: a de entreter e também informar as mulheres. Vivemos um momento complicado e quanto mais informação, melhor”, avaliou.

A expectativa para conhecer de perto a Tia Má e a beleza do TCA já tomou as mães da comunidade.

Audiência pública Cultura & Reparação: Nova proposta da LOM

IMG-20180509-WA0009

Clique na imagem para visualizar o Projeto de Emenda de Revisão à Lei Orgânica do Município de Salvador.

Participe do debate, nesta segunda-feira (14/05), a partir das 09h, no auditório do Edifício Bahia Center – Anexo da Câmara Municipal – Rua Ruy Barbosa, nº 27 – Centro.

Vamos construir juntos os capítulos VIII e XI, da Cultura (página 79) e Do Negro (página 83).

 

Representatividade negra foi discutida na Virada Política

Virada Política - Assessoria do vereador (4)

Sílvio Humberto: “As saídas contra o racismo precisam ser coletivas” 

A mesa de debates ‘Representatividade Negra no Cenário Baiano’, um dos painéis da Virada Política, evento organizado em diversas cidades do País, com a proposta de promover novas concepções políticas, contou com a participação do professor de Economia e vereador de Salvador, Sílvio Humberto (PSB). A discussão ocorreu neste sábado, no Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador, e tratou de temas como: racismo e hierarquia social, políticas públicas para juventude negra e enfrentamento à violência.

Sílvio Humberto avaliou positivamente a atividade, destacando a oportunidade de abertura do diálogo com a juventude. Esse público, segundo o parlamentar, é o principal impactado pelo revés sofrido pela democracia no País e é, também, o mais apto a promover as mudanças que o Brasil precisa para retomar o rumo de desenvolvimento e conquistas sociais.

Abordando o tema da baixa representatividade dos negros em cargos políticos, o legislador, que é também militante do movimento negro, com atuação no campo da Educação, associou o quadro ao fenômeno do racismo. “Não é possível esconder o fato de que o racismo, essa chaga social, estrutura todas as relações na nossa sociedade. Ele determina quem vai ou não acessar os espaços de poder”, assinalou Sílvio.

O vereador reclamou e chamou à atenção para outro fato grave. “Em pleno Século XXI, Salvador, cidade de população de absoluta maioria negra, não ter experimentado eleger um prefeito ou prefeita negra é um exemplo claro do que estamos afirmando”, destacou. Sílvio ressaltou, ainda, um ponto de extrema relevância para ele. “Querem nos fazer crer que podemos superar o racismo através de estratégias individuais de ascensão econômica. Mas não adianta. As saídas para a população negra não podem ser estas. Precisam ser coletivas”, pontuou.

A mesa de debate sobre representatividade negra foi composta, ainda, pelo ex-secretário estadual de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Carlos Martins; pela ex-vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento; e pela delegada de Polícia, Ajurimar Oliveira. A discussão foi mediada pela vice-presidente da União Nacional dos Estudantes da Bahia (UNE-BA), Carolina Nunes.