Baiana de Acarajé será patrimônio imaterial de Salvador

Ascom - vereador Sílvio Humberto 1

Projeto de Lei que reconhece o ofício é de autoria do vereador Sílvio Humberto

No último sábado (25/11), foi comemorado nas ruas do Centro Histórico de Salvador, o Dia Nacional da Baiana de Acarajé. A celebração foi iniciada com uma missa especial, promovida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), na Igreja de Nossa Senhora Rosário dos Pretos. Em seguida, dezenas de baianas saíram em cortejo pelas ruas do Pelourinho, com destino ao Memorial das Baianas, na Praça da Cruz Caída.

Discursos de autoridades, entrega de prêmios para baianas e um almoço servido para as quituteiras e convidados marcaram o ato, conduzido pela presidente da Associação Nacional das Baianas de Acarajé, Mingau, Receptivos e Similares (Abam), Rita Santos. Na oportunidade, foi entregue à Abam uma cópia do Projeto de Lei nº 534/17, de autoria do vereador Sílvio Humberto (PSB), que torna as Baianas de Acarajé patrimônio imaterial, cultural e histórico de Salvador.

Vereador Sílvio Humberto

O vereador justificou a proposição, defendendo a importância do ofício, que já é considerado patrimônio cultural brasileiro. “As baianas cumprem, no presente, um papel fundamental no aspecto simbólico para o nosso estado, mas também no econômico. Além do trabalho realizado por estas mulheres, toda uma cadeia é movimentada com a produção dos seus quitutes”, argumentou o parlamentar. Para Sílvio, outro aspecto que merece destaque “é a representatividade das baianas na afirmação da cultura negra e na luta contra o racismo e a intolerância religiosa”.

Durante o ato de celebração do Dia das Baianas, foi lançado um documentário sobre a profissão, pela Biblioteca Virtual Consuelo Pondé, da Fundação Pedro Calmon, órgão da Secretaria Estadual de Cultura. O vídeo, que conta a história do ofício, está hospedado no site ‘A Bahia Tem Dendê’, que será a plataforma digital oficial da Abam.

Terreiro da Casa Branca recebe diplomata da ONU para de Roda de Conversa

Roda de Conversa - divulgação

O tradicional Terreiro da Casa Branca (Avenida Vasco da Gama) vai receber, nesta sexta-feira (1º/12), a Roda de Conversa: Intolerância Religiosa no Mundo, com a participação do diplomata da Organização das Nações Unidas (ONU), Gerson Brandão. O debate é promovido pelo vereador Sílvio Humberto (PSB), em parceria com a Fundação Pedro Calmon (FPC) e com a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte do Estado da Bahia (Setre).

O objetivo da conversa, segundo o vereador e idealizador do encontro, é destacar ainda mais o problema enfrentado pelas religiões de matriz africana. “O nosso país atravessa um momento muito complicado, de recrudescimento nos avanços conquistados nos breves últimos anos. Precisamos encontrar as melhores e mais diversas estratégias para garantir o nosso direito à liberdade plena”, explica o parlamentar.

Durante o debate, será apresentado um panorama da intolerância religiosa no mundo, que será discutido pela mesa, formada por lideranças religiosas e políticas. Já estão confirmadas as presenças do presidente da Fundação Pedro Calmon, Zulu Araújo; da educadora Makota Valdina Pinto, do Terreiro Nzo Onimboya; de Raidalva dos Santos, Ialorixá do Terreiro Ilê Axé Oyá Tolá (Passagem dos Teixeiras – Candeias) e do Babalorixá do Terreiro Mokambo – Onzó Nguzo Za Nkisi Dandalunda ye Tempo, Anselmo Santos.

Lançamento de livro

Gerson Brandão estará em Salvador para o relançamento do seu livro ‘19 de Agosto’, na próxima quinta-feira (30/11), às 14h, no Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador. A obra reúne uma coletânea de artigos, publicados em revistas e jornais nacionais e internacionais, com relatos do trabalho realizado pelo autor, ao redor do mundo, como encarregado dos Assuntos Humanitários da ONU. O título do livro faz referência ao Dia Mundial da Assistência Humanitária.

SERVIÇO

O que: ‘Roda de Conversa – Intolerância Religiosa no Mundo’, com o encarregado dos Assuntos Humanitários da ONU, Gerson Brandão;

Quando: 1º/12, às 17h;

Onde: Terreiro da Casa Branca (Ilê Axé Iyá Nassô Oká) – Avenida Vasco da Gama, nº 463, Engenho Velho da Federação.