Jovens atores e dançarinos debatem propostas para a Cultura

Ascom - Vereador Silvio Humberto

Discussão foi provocada pela Comissão de Cultura da Câmara 

A Comissão de Cultura da Câmara Municipal de Salvador, realizou, na última quinta-feira (23/11), na sede do Centro de Referência Integral de Adolescentes (Cria), no Pelourinho, mais uma edição das suas reuniões abertas. Nesta oportunidade, as linguagens debatidas foram a dança e o teatro. A proposta da reunião é levar as discussões temáticas aos locais onde as linguagens são desenvolvidas. No caso do Cria, os alunos da instituição puderam apresentar contribuições e demandas para o setor.

As provocações para o início do debate ficaram a cargo do diretor teatral Luis Bandeira e do coordenador da Bumbá – Escola de Formação Artística, Eugênio Lima. Sob a condução do presidente da Comissão, o vereador Sílvio Humberto, os jovens alunos do Cria puderam ouvir as considerações dos debatedores e também apresentar propostas para as linguagens artísticas em discussão.

Sílvio falou, principalmente, sobre a urgência da criação de políticas públicas que dinamizem os diversos setores da Cultura, prioritariamente, para aqueles que se encontram à margem do circuito de financiamento cultural. “A nossa juventude negra se esforça para interpretar e dançar nos palcos, para não dançar na vida. A arte é uma saída para muitos destes jovens. Entidades como o Cria são fundamentais para a criação destas oportunidades”, destacou o vereador.

Propostas – Um conjunto de propostas foram elencadas durante a reunião. Foi apontada a necessidade de inversão das prioridades nas pautas e políticas, dando mais espaço para grupos marginalizados no processo de produção cultural. A criação de cotas nos editais para o Teatro de Rua e para ONGs que trabalham com arte e cidadania, a exemplo do Cria, também foi pautada na discussão.

O presidente da Comissão de Cultura pontuou ainda, a necessidade de apoio para a potencialização destas iniciativas. “É papel fundamental do poder público dinamizar e democratizar o acesso aos bens culturais e ao processo de produção da cadeia cultural. Muito mais do que alcançar a dimensão simbólica da arte, isso possibilitará meios de geração de trabalho e renda para estes jovens”, concluiu Sílvio Humberto, ao defender mais uma vez o papel da Cultura no desenvolvimento socioeconômico da cidade.

Comissão de Cultura vai realizar seminário sobre Cultura e Desenvolvimento

 

Reunião Comissão de Cultura

A Comissão de Cultura da Câmara Municipal de Salvador realizou, nesta terça-feira (09/05), no Plenário da Casa Legislativa, a sua 3ª Reunião Ordinária do Exercício 2017. Durante o encontro, o presidente do colegiado, vereador Sílvio Humberto (PSB), apresentou aos demais vereadores a proposta de calendário de atividades da Comissão, com destaque para a realização do Seminário Cultura e Desenvolvimento, previsto para o primeiro semestre desse ano.

Sílvio Humberto ressaltou a importância da realização da atividade, como marco inicial do modo de abordagem que a Comissão pretende adotar acerca do tratamento da Cultura e das Políticas Culturais da cidade. “Como esse novo colegiado acaba de ser desmembrado da Comissão de Educação, entendemos que seja de primeira ordem esboçarmos um caminho para que a atuação desta Comissão contemple os anseios daqueles que militam com a produção cultural e atenda aos interesses da cidade”, explicou o edil.

Os vereadores discutiram também a construção da próxima atividade da Comissão, que vai promover uma audiência pública para debater o trabalho dos artistas de rua e o uso dos espaços públicos. Outra deliberação importante foi a formulação de um Projeto de Resolução que propõe a adequação do Selo Editorial Castro Alves na sua nova formatação, agora ligado diretamente à Comissão de Cultura. O Selo tem como finalidade a edição e publicação de obras de escritores baianos em formatos impresso e digital.

Desenvolvimento – “A nossa avaliação é a melhor possível. Os vereadores que compõem a Comissão estão alinhados com o entendimento da relevância das ações deste colegiado para a cidade”, defendeu Sílvio. Para ele, a compreensão acerca do tratamento da Cultura como um vetor importante para o desenvolvimento socioeconômico, propicia que as resoluções do grupo apontem para uma mesma direção. “Salvador possui índices elevados de desemprego e, em paralelo a isso, é considerada um grande celeiro da produção da Cultura no País. Desse modo, precisamos dar o devido tratamento ao tema e garantir que essa riqueza cultural seja capaz de gerar renda para o nosso povo”, concluiu.

A reunião contou com a participação do vice-presidente da Comissão, o vereador Luiz Carlos Suíca e dos demais membros: Odiosvaldo Vigas, Igor Kannário e Moisés Rocha. Juntos, os parlamentares decidiram ainda a realização de reuniões itinerantes do colegiado. O objetivo, segundo Sílvio, “é ir discutir as questões junto aos interessados, nos locais onde elas são formuladas”.